Ferramentas e Recursos para restauração da Alma

 

Pranto

Pranto
Diane Langberg

 

 

(Diane) Porquê, o Senhor, ficas tão longe?
Porquê te escondes na hora de calamidade?
(Sl 10.1)

 

 

(Grupo) Meu Deus! Meu Deus!
Por que me abandonaste?
Por que estás tão longe de salvar-me,
Tão longe dos meus gritos de angústia?
Meu Deus!
Eu clamo de dia, mas não respondes;
De noite, e não recebo alívio!
(Sl 22.1-2)

 

 

(Diane) Até quando, Senhor?
Para sempre te esquecerás de mim?
Até quando esconderás de mim o teu rosto?
Até quando terei inquietações
e tristeza no coração dia após dia?
(Sl 13.1-2a)

 

 

(Grupo) Nossos olhos estão cansados de buscar ajuda em vão. (Lm. 4.17)
Tu te escondeste atrás de uma nuvem
Para que nenhuma oração chegasse a ti.
Tu nos tornaste escória e refugo entre as nações
(Lm 3.44-45)

 

 

(Mulheres) Todos os nossos inimigos escancaram a boca contra nós.
Sofremos terror e ciladas, ruína e destruição.
Rios de lágrimas correm dos meus olhos.
(Lm 3.46-48)

 

 

(Mulheres) Aqueles que, sem motivo, eram meus inimigos caçaram-me como a um passarinho.
Procuraram fazer minha vida acabar na cova
E me jogaram pedras;
As águas me encobriram a cabeça, e cheguei a pensar que o fim de tudo tinha chegado.
(Lm. 3.52-54)

 

 

(TODOS) Por isso não me calo;
Na aflição do meu espírito desabafarei,
Na amargura da minha alma
farei as minhas queixas.
(Jó 7.11)

 

 

(Homens) A fidelidade e o amor desapareceram desta terra,
Como também o conhecimento de Deus.
Só se vêem maldição, mentira e assassinatos,
Roubo e mais roubo, adultério e mais adultério;
Ultrapassam todos os limites!
E o derramamento de sangue é constante.
Por isso a terra pranteia,
E todos os seus habitantes desfalecem.
(Os 4.1b-3a)

 

 

(TODOS) Por isso não me calo;
Na aflição do meu espírito desabafarei,
Na amargura da minha alma
farei as minhas queixas.

 

 

(Mulheres) Assim me deram meses de ilusão,
E noites de desgraça me foram destinadas.
Quando me deito, fico pensando:
Quanto vai demorar para eu me levantar?
A noite se arrasta, e eu fico me virando na cama
até o amanhecer.
Meu corpo está coberto de vermes e casacas de ferida, minha pele está rachada e vertendo pus.
(Jó 7:3-5)

 

 

(TODOS) Por isso não me calo;
Na aflição do meu espírito desabafarei,
Na amargura da minha alma
farei as minhas queixas.

 

 

(Diane) Minha vida só me dá desgosto;
Por isso darei vazão à minha queixa
E de alma amargurada me expressarei.
Direi a Deus: Não me condenes;
Revela-me que acusações tens contra mim.
Tens prazer em oprimir-me,
Em rejeitar a obra de tuas mãos,
Enquanto sorris para o plano dos ímpios?
(Jó 10.1-3)

 

 

Então, por que me fizeste sair do ventre?
Eu preferia ter morrido antes que alguém pudesse ver-me.
Se tão-somente eu jamais tivesse existido,
Ou fosse levado direto do ventre para a sepultura!
(Jó 10.18-19)
(TODOS) Por isso não me calo;
Na aflição do meu espírito desabafarei,
Na amargura da minha alma
farei as minhas queixas.

 

 

(Mulheres) Meus olhos choram sem parar,
sem nenhum descanso
Até que o Senhor contemple dos céus e veja.
(Lm 3.49-50)

 

 

(Todos) Lembra-te, Senhor,
do que tem acontecido conosco;
Olha e vê nossa desgraça.
(Lm 5.1)

 

 

(Homens) Todo o meu ser estremece.
Até quando, Senhor, até quando?
Volta-te, Senhor, e livra-me;
Salva-me por causa do teu amor leal.
(Sl 6.3-4)

 

 

(Todos) Lembra-te, Senhor,
do que tem acontecido conosco;
Olha e vê nossa desgraça.

 

 

(Diane) Por que motivo então te esquecerias de nós?
Por que haverias de desamparar-nos por tanto tempo?
Restaura-nos para ti, Senhor, para que voltemos;
Renova os nossos dias como os de antigamente.
(Lm 5.20-21)

 

 

(Todos) Lembra-te, Senhor, do que tem acontecido conosco;
Olha e vê nossa desgraça.

 

 

(Diane) Na minha angústia, clamei ao Senhor;
Clamei ao meu Deus.
(2 Sm 22.7)

 

 

(Mulheres) Ouve a minha oração, Senhor;
Escuta o meu grito de socorro;
Não sejas indiferente ao meu lamento.
(Sl 39.12)

 

 

(Mulheres) Ouve a minha oração, Senhor!
Chegue a ti o meu grito de socorro!
Não escondas de mim o teu rosto quando estou atribulado.
Inclina para mim os teus ouvidos;
Quando eu clamar, responde-me depressa!
(Sl 102.1-2)

 

 

(Homens) Ouve a minha voz quando clamo,
ó Senhor;
Tem misericórdia de mim e responde-me.
A teu respeito diz o meu coração:
Busque a minha face!
A tua face, Senhor, buscarei.
Não escondas de mim a tua face,
Não rejeites com ira o teu servo;
Tu tens sido o meu ajudador.
Não me desampares nem be abandones,
Ó Deus, meu salvador!
(Sl 27.7-9)

 

 

(Todos) Ouve a minha oração, Senhor
Ouve a minha oração, Senhor
Ouve a minha oração, Senhor
 

 

x-x-x-x-x