Ferramentas e Recursos para restauração da Alma

 

Dicas p/Retiro 4° Passo

Dicas para o RETIRO DO

Quarto Passo

A experiência mostra que o Passo Quatro, da auto-análise, é um dos mais difíceis e o que mais desanima os participantes do curso.  Para que as pessoas possam receber maior atenção e apoio no trabalho deste passo, propomos a inclusão no curso de um retiro de dois dias. Sugerimos o seguinte esquema:

 

Retiro do Passo Quatro

 

Sábado

Domingo

08:00

Café da manhã

Café da manhã

08:30

Louvor e Devocional

(Salmo 139.23-24)

Louvor e Devocional

(Gálatas 6.1-5)

09:30

Palestra sobre Mecanismos de Defesa

Trabalho individual na segunda área escolhida

10:30

Coffee-break

Coffee-break

11:00

Grupos de Apoio (repassando Itens 5-14)

Grupo de Trabalho

(segunda área)

13:00

Almoço

Almoço

15:00

Trabalho individual na

Primeira área escolhida

Saída

16:00

Coffee

 

16:30

Grupo de Trabalho

(primeira área)

 

18:30

Jantar

 

19:30

Brincadeira ou Filme

 

23:00

Silêncio

 

 

As datas do retiro devem ser determinadas e apresentadas para os participantes dos grupos de apoio nas primeiras semanas do curso, para que todos possam se programar.  Organizar um retiro representa alguns desafios, entre eles, encontrar um local, custos, agenda e cuidar de responsabilidades familiares (filhos, etc.).  Cada equipe terá de avaliar as suas possibilidades.

O ideal é usar um acampamento ou sítio onde as pessoas possam concentrar-se nos propósitos do retiro, sem ter que lidar com muitos fatores paralelos.  Se der para começar na sexta-feira à noite com um lanche, brincadeira ou filme para ter maior tempo de comunhão, ainda melhor!

Se não tiver disponível um local que sirva para um retiro, usem então a própria igreja. Talvez os membros da igreja que moram perto possam abrigar os participantes.  Se fizerem as refeições na igreja, as pessoas precisarão apenas de lugares para dormir e tomar banho.  O custo do retiro nesta condição seria apenas o valor das refeições.

Se não conseguir datas que funcionem para todas as pessoas, podem optar por um ou outro grupo de apoio fazer o seu próprio mini-retiro na casa de uma delas numa data que funcionar.  Se possível, um membro da equipe deve dar apoio.  Mas esta opção perde bastante o valor de todos trabalharem juntos, focalizando-se em cada área.

O retiro combina trabalho intensivo com lazer e comunhão.  Ele precisa ser realizado com bastante oração e carinho.  Se for possível, peça aos intercessores da igreja para darem cobertura.

Faça a introdução ao Passo Quatro na semana que anteceda o retiro.  Neste encontro, peça às pessoas preencherem o exercício 15 do Passo Quatro e entregarem um papel com seu nome e as duas áreas escolhidas para trabalhar no retiro. Assim, a equipe pode organizar grupos de trabalho segundo as áreas mais requisitadas, escolhendo um membro da equipe para liderar cada grupo.  A equipe terá uma semana para aprimorar-se nas áreas designadas para cada um, fazendo leituras adicionais nesta área e orando especificamente para os integrantes de seu grupo.

Se sua equipe é nova e/ou pequena, peça ajuda de outras pessoas experientes para realizar o retiro.  Chame, por exemplo, uma equipe de outra igreja em sua cidade, membros da equipe estadual ou da equipe regional.  Se não conseguir apoio para cobrir a maioria das áreas e se sentir inseguro, talvez seja melhor trabalhar o passo da forma “tradicional”, sem fazer em retiro.  Fazendo assim, este passo levará quatro ou cinco semanas.

A tarefa de preparo para o retiro será as perguntas de 5 a 14 do Passo Quatro.  Após o café e devocional, o retiro começa com um repasse dos Mecanismos de Defesa, seguido por tempo nos grupos de apoio para conversar sobre a tarefa (perguntas 5 a 14).

À tarde, cada participante trabalha uma das duas áreas que escolheu no exercício 15[1].  Cada um responde individualmente as seis perguntas da primeira área escalada e depois se encontra no grupo de trabalho com outros que estão avaliando esta mesma área. (Os grupos de trabalho se organizam segundo área a ser trabalhada, independente de incluir ou não membros do grupo de apoio de cada um.)  A equipe ficará à disposição para ajudar as pessoas no seu trabalho individual e depois lideram os grupos de trabalho conforme escalado.

Organizar os grupos de trabalho é como montar um quebra cabeças. Priorize as áreas mais requisitadas, dependendo do número de membros da equipe.  Uma opção é pedir para alguns facilitadores também ajudar a liderar grupos de trabalho, se for necessário cobrir mais áreas.

Uma forma de atacar este “quebra cabeças” é cortar folhas de papel ao meio e em cada uma:

  1. Alistar cada área escolhida com os nomes das pessoas.
  2. Identificar a área mais requisitada. Escale esta área para a primeira tarde (escreva “tarde” em vermelho no papel).
  3. Veja quais são as áreas que estas pessoas escolheram como a sua outra opção, e assine estas para a manhã seguinte.  (Faça a separação dos papéis.)
  4. Feita esta divisão, veja se conseguir dividir as outras áreas e pessoas para que cada uma tenha as suas duas áreas divididas entre os dois momentos.

Trabalhando assim, nós acabamos com apenas três pessoas que não conseguimos encaixar.  Ligamos para cada uma delas para pedir que escolhessem outra área, que encaixaria (explicando que daríamos apoio após o retiro para elas na sua escolha original).  Combinamos algumas áreas parecidas, como se vê no exemplo a seguir (que é a real escala de nosso retiro recente; só modifiquei os nomes).  Como se vê no exemplo, em dois casos (Baixa Auto-Estima e Ira), dividimos uma área em dois grupos, um para cada momento de trabalho.

TARDE

Baixa Auto-Estima (M José)

Ângela

Controlador/Dominador ePerfeccionismo (Débora)

Cláudio

Alana

João

Alcina

Karla

Cirene

Lucila

Claudete

Roseane

Liz

Samara

Marta

Simone

Walter

Vanda

 

 

Depressão (Pr. Vandeir/Cris)

Carência de Afeição Física, Culpa Falsa Dificuldade com Pessoas em Autoridade (Ana)

Estela

Margarete

Marilena

Antônio

Elen

Rebeca

Janice

Pedro

Regiane

Sabrina

Timóteo

 

 

Busca de Aprovação (Patrícia)

Alice

Frieza de Sentimentos e Sex. Reprimida (Hildete)

Marcelo

Amanda

Rolando

Eleonor

Rose

Jaqueline

Safira

Marina

Samanta

Mário

 

E. Susana

Estresse Super-responsável (Loide)

 

Ira/Raiva/Espírito Crítico (Beth)

Elisa

Clarisse

Joaquim

Louise

Lissandra

Raissa

Oscar

Roberta

Roana

Rosemarie

Ricardo

 

Roberto

 

Romária, Wendi

 

MANHÃ

Amargura (Patrícia)

Baixa Auto-Estima (M. José)

Alice

Alana

Ângela

Amanda

Clarisse

Antônio

Jaqueline

Estela

Margarete

Janice

Roberta

Regiane

 

Roberto

Ira/Raiva/Espírito Crítico (Beth)

Alcina

Rolando

Rose

Cirene

Sidnei

Lucila

Wendi

Marilena

 

Roana

 

Ricardo

Medo (Ana Paula)

Romária

Cláudio

Walter

Raissa

 

Roseane

Medo de Abandono Rejeição (Débora)

Samanta

Sabrina

Elen

 

E. Susana

João

Karla

Sexualidade Reprimida Frieza de Sentimentos Vício Sexual (Hildete)

Marcelo

Claudete

Mário

Elisa

Rosemarie

Marta

Rebeca

Lissandra

Safira

Marina

Simone

Oscar

Vanda

Liz

 

Pedro

Fuga da Realidade Isolamento/Solidão (Loide)

 

Eleonor

 

Joaquim

Samara

Louise

Timóteo

Eis algumas sugestões de como fazer render as duas horas nos grupos de trabalho:

1. Compartilhar respostas às seis perguntas (lendo o que escreveu).

2. Faça uma tempestade de idéias sobre como superar problemas nesta área.  É muito mais provável alguém fazer algo que foi idéia dela, do que algo imposto.  Primeiro cada um (inclusive o líder do grupo) alistará várias idéias individualmente e depois compartilhará para fazer uma lista com todas as idéias.

3. Cada um escolher UMA coisa que se compromete fazer (com mais duas ou três escolhidas para dar seqüência uma vez que conquistar a primeira).  A pessoa compartilhará isto no grupo de apoio na próxima reunião para facilitar prestação de contas.

4. Orar uns pelos outros, em duplas ou trios.

A equipe pode aproveitar as refeições para investir mais tempo com as pessoas que carecem desta atenção.  Também, pode-se marcar uma refeição para esclarecer dúvidas dos facilitadores.

Seguimento após o retiro: A reunião dos grupos de apoio depois do retiro está designada para consolidar o trabalho intensivo feito no retiro: como foi o processo para cada um, os compromissos que assumiu e como gostaria de prestar contas.  Deve-se identificar se restaram áreas da auto-análise que cada um ainda precisa trabalhar, e como pretende fazer isso.

Nossa experiência com este retiro tem sido muito positiva.  O ambiente de retiro reforça laços de comunhão entre os participantes e a equipe e reanima quem esteve desencorajado.  O tempo de descontração no sábado à noite foi importante para isso.  Rir faz bem para a alma!

 



[1] Temos observado que, para algumas pessoas, uma área em particular é a área “chave” e que, trabalhando bem esta área, as outras áreas problemáticas se encaixem sem tanto esforço focalizado.  Se for o caso, talvez seja interessante para alguns trabalharem bem apenas uma área no retiro, em vez de tentar duas.  A equipe pode ajudar as pessoas a discernirem se for este o seu caso.